mestre

DISCURSO 38º ANIVERSÁRIO DA ASSOCIAÇÃO BUSHIDO KARATÉ-ZEN

Posted on Posted in Aniversários

Nesta oportunidade para comemoração ocorrem-me alguns pensamentos e sentimentos que gostaria de convosco partilhar sobre algumas situações que sinto terem sido as mais marcantes ao longo do passado ano lectivo.

O meu primeiro pensamento, como será compreensível, é dirigido aos companheiros de mais idade, aos mais velhos. A todos eles claro está, mas muito em particular refiro-me ao Sr. José Ribeiro e ao Sr. António Português, que, não obstante a idade com que a natureza já os pôde brindar, nos ensinam com o seu comportamento, nas aulas e fora delas, os valores da seriedade, da sobriedade e do espírito de sacrifício.

Valores verdadeiramente indispensáveis por serem edificantes da nobreza de carácter, mas que infelizmente começam a escassear na sociedade.

A dimensão humana destes dois nossos companheiros é verdadeiramente inspiradora. Antes de mais para mim próprio, mas estou convicto que sê-lo-á também para todos vós, pois graças a eles a BUSHIDO vê elevada a qualidade do seu património, da sua dinâmica, e da sua mensagem.

Muito lhes reconheço e agradeço a ambos por me inspirarem. A minha vida não teria o mesmo significado sem pessoas da vossa estatura, da vossa dignidade , da vossa amizade e da vossa simplicidade perto de mim.

A vossa presença no Dojo e a vossa dedicação aos ideais da BUSHIDO engrandece-nos e enobrece-nos.

Tem um valor que, por regra, a sociedade tende a reconhecer somente à posteriori … mas nós estamos atentos e gratos desde já.

Eu estou! Muito obrigado a ambos por serem meus mestres, mesmo quando disso não se apercebam!

 

Um segundo pensamento dirijo-o a todos aqueles que se têm dedicado ao ensino do BUSHIDO KARATÉ-ZEN, quer o tenham feito de forma mais regular e profissional ou de forma pontual e esporadicamente.
A todos eles, mas muito especialmente, como não podia deixar de ser, reconheço e agradeço a importância do excelente trabalho desenvolvido pelas professoras Ana Paula e Esmeralda Santos, que quotidianamente, e de forma tão consistente, ajudam as crianças nas nossas Escolas ( Dojo ), a aprenderem, entre outros valores, o poderoso benefício da disciplina, como factor de crescimento emocional.

Sabemos que a disciplina desempenha um papel na Paz e na Harmonia, e por isso creio que não será excessivo dizer que disciplina é Amor!

Parabéns à Prof. Ana Paula Santos e à Prof. Esmeralda Santos por saberem, e quererem,  tão bem transmitir, ás crianças suas alunas, este valor fundamental, e por o fazerem da forma que só pessoas com talento e vocação, e sobretudo com espírito de missão, conseguem fazer.

A maestria com aliam os melhores métodos pedagógicos com a ludicidade e o carinho, indispensáveis nestes níveis etários, é perfeita delícia de se ver e de aprender.

Estão ambas de parabéns, bem como todos aqueles que, em cada escola e em cada aula, se dedicam a ajudar os “futuros adultos” a aprenderem a saber tomar as opções mais corretas.

 

Para finalizar, recordo algo que tenho como mais marcante, sobretudo na minha carreira de professor, e que tem sido a oportunidade, e a felicidade, de observar a paixão, o entusiasmo, e o permanente brilho no olhar dos alunos de graduações mais elevadas. Até porque estou convencido que todos eles foram inspirados e têm como referência aquele cujo olhar mais cintila e melhor transmite a autenticidade e a simplicidade com que vive.

Falo, claro está, do José Augusto Pinto Dias, que desde 19.6.79, com a sua prática regular e com a sua entrega total e apaixonada em cada aula, se tornou no praticante mais antigo e mais competente da nossa associação.

A sua inexcedível generosidade, o seu trabalho e dedicação aos ideais da Bushido e ás pessoas que dela fazem parte, fazem dele uma bandeira na direção da qual todos devemos olhar e saudar.

Sugiro que o tenham como a “estrela polar” que indica a direcção da trajectória dos nossos ensinamentos na Bushido, e sugiro também que com ele aprendam o poder da Energia Suave.

Estejam com o “coração” atento, uma vez que ele ( o Pinto ) não ensina, antes possibilita a aprendizagem. Lidera pelo exemplo, ensinando por modelagem, e isso é cada vez mais raro de encontrar.

O permanente cintilar do seu olhar e da sua alma ao enfrentar as adversidades, todas elas, estejam dentro ou fora do Dojo, aliados ao seu altruísmo e disponibilidades permanentes, tem sido das experiências  mais marcantes na minha carreira de professor, e isso lhe desejo agradecer.

Muito se aprende com este Mestre!

 

Aproveitando a vossa paciência, dirijo-me agora a pensar os tempos que hão-de vir. O futuro, o próximo ano lectivo, etc..

Em verdade vos digo que não pretendo nada de novo na minha vida, basta-me o que esta me tem dado.

O essencial faz a vida valer a pena. E para mim, basta o essencial.

 

 

Certo que, nos dias em que olho a televisão, sinto apreensão ao observar que parece estar a instalar-se a Globalização da Indiferença, e que, pelo menos aparentemente, ninguém parece estar preocupado ou sequer capacitado para marcar a diferença.

Fico inquieto com os invejosos que tentam destruir quem eles admiram, cobiçando seus lugares, talentos e sorte. E preocupa-me o aumento do número de pessoas que não debatem conteúdos, apenas os rótulos.

Hoje dia 4.9.2013 completei 56 anos de idade, e quando, como eu, observamos que já vivemos mais do que aquilo que temos para viver, que temos muito mais passado que futuro, o tempo torna-se escasso para debater rótulos,queremos a essência.

Felizmente não dedico mais tempo do que o indispensável a assistir os canais de televisão, e reconheço ser um privilegiado por poder recorrer diariamente ao ambiente dos nossos Dojos, que procuro aproveitar como verdadeiros templos e autênticos oásis nesta travessia que é viver.
A vida no Dojo, em qualquer Dojo, as aulas, as vossas palavras, os vossos sorrisos e afeto, transforma e melhora qualquer alma. Na minha tem esse efeito!
Ao observar-vos e, sobretudo, ao convosco conviver, adquiro a convicção que o ano lectivo que agora se inicia, terá, pelo menos, a mesma qualidade e será tão frutífero quanto aquele que hoje comemoramos.
Desejo pois continuar a partilhar este Caminho ( DO ) ao lado de gente humana, gente com o coração no sítio certo, que sabe rir dos seus falhanços e não se encanta com triunfos.

Gente que tem a autenticidade e a generosidade como ideais de vida.

Gente que sabe compreender, e aprender, com os silêncios e que valoriza e pratica a Arte da Simplicidade.

Caminhar perto de coisas e pessoas de verdade, como as aqui presentes, mas também de algumas hoje lamentavelmente ausentes, tem sido para mim uma honra e um previlégio que muito me tem eriquecido como pessoa e como professor e sinto que por isso vos devo dizer a todos, alunos, encarregados de educação, directores de colégios, professores, enfim Amigos, o quanto estou feliz e muito agradecido.

 

Proponho que elevemos os nossos copos e brindemos ao ano lectivo que nos preparamos para abraçar.

 

Canidelo, 4 de Setembro de 2013