mestre

Discurso do Mestre Vitor Silva

Posted on Posted in Aniversários

4 e 5 de  Setembro de 2009

52º Aniversário do meu nascimento

34º Aniversário da Bushido Karaté-Zen

28º Aniversário do meu casamento

Algumas palavras…

Um ano mais decorreu sobre as nossas vidas dando-nos a oportunidade e o privilégio de trocarmos amizade, bem como de continuar a promover o ensino e a prática do Bushido Karaté-Zen, quotidianamente norteados pela qualidade moral, pedagógica e vocacional.

Foi um bom ano, e por isso, creio que todos podemos, e devemos, estar satisfeitos com a forma como soubemos utilizar as nossas vidas para inspirar as vidas de muitos outros.

Ano após ano vemos reforçado o sentimento de que tomamos a atitude mais acertada, quando fizemos evoluir a prática de um Karaté onde o sucesso é obtido por confronto num ringue, para um método pedagógico centrado na componente axiológica, dando prioridade á vivência de princípios e valores que parecem escassear na sociedade actual.

Enquanto pedagogos, responsáveis por aqueles que seduzimos, estávamos atentos, e cedo compreendemos que mais importante que “derrubar os adversários” seria crescer nas adversidades, encontrando um método, que, orientado para “bater” nas nossas imperfeições, pudesse contribuir para nos tornar melhores seres humanos.

Tarefa nem sempre fácil, na medida em que a sociedade actual parece correr rápido para lado algum, e tende a cultivar a mediocridade e a insensibilidade, a ignorância e a preguiça, a incapacidade de agir e a busca do “já pronto a servir”.

Parece desconhecer que quando se escolhem os comportamentos, se escolhem também as consequências…
Recordemos o provérbio: “quem não sabe para onde quer ir, não se admire de ir parar onde não quer”.

Para os nossos filhos, como para nós próprios, queremos o melhor, e, pelo menos a avaliar pelos resultados, parece que o método que partilhamos deve ser preservado. Seguirá sendo um percurso partilhado por todos (professores, alunos e familiares), orientado para a Ética e estimulado na auto-superação, cujos resultados são considerados frutíferos.

Sabemos que antes de “colher” necessitamos de “semear” e igualmente acreditamos que a melhor “defesa pessoal” a ensinar, é aquela que promove o reforço do carácter do praticante, a sua dimensão humana.

Em todas as áreas da vida existem os repetidores e os criadores, e todos nós estamos de parabéns, uma vez que percebendo a diferença entre uns e outros, soubemos contribuir para a criação e o desenvolvimento da Bushido, que, porque método de aprimoramento contínuo, nos convida (e obriga) a evoluir.

O mais difícil está feito, mas não nos devemos esquecer que obter conhecimento é como nadar contra a corrente:
– Uma vez parando de nadar somos remetidos ao ponto de partida.

Aproveitemos (pelo menos) estes nossos encontros anuais, para dizermos, uns aos outros, o quanto somos importantes para o processo de desenvolvimento da Bushido, e mais relevante ainda, o quanto somos preciosos para a vida uns dos outros.

Pessoalmente, agradeço á minha família e em especial á minha esposa, por todo o apoio com que, de forma incondicional, me tem beneficiado, pela compreensão nos momentos em que estando juntos, o meu pensamento se orienta para as nossas Escolas.

Agradeço ainda a todos os meus alunos, presentes e ausentes, pela seriedade do trabalho, competente e esforçado que regularmente desenvolvem em cada Dojo (local de ensino).

Gostaria de deixar uma palavra de apreço aos pais, e encarregados de Educação, dos nossos alunos, pela colaboração regular e pela confiança que têm depositado na Escola Bushido, prestigiando-a e dando testemunho de uma consciência colaborativa, que merece ser aprofundada.

Igualmente dirijo uma palavra de agradecimento aos directores dos muitos Colégios que nos têm honrado, (alguns há várias décadas), ao aceitarem partilhar connosco a elevada responsabilidade de “ajudar a crescer” os seus alunos.

Agradeço também a todos que fazem parte desta enorme equipa de trabalho: á Direcção da Bushido, aos meus companheiros do Conselho Técnico e Pedagógico, aos Professores e Monitores, aos diversos responsáveis (quantas vezes anónimos), pela vossa dedicação em prol do desenvolvimento das nossas Escolas, bem como pelo encorajamento e indispensável apoio, que ano após ano me têm concedido.

Para terminar, o meu maior agradecimento é dirigido para o melhor dos Mestres que tive a oportunidade de conhecer e de privar.

Foi esse Mestre quem me ensinou a, na vida, não querer ser nada de “especial” e, quem me motivou a mover-me pelo Conhecimento, alertando-me, todavia, que esse nunca se atinge completamente, porque tem sempre uma porta que dá para outra porta e assim sucessivamente…
…Um caminho interminável mas sedutor e gratificante, que ajuda a tornar clara a diferença entre Ter e Ser.

Tal Mestre ensinou-me a Via da realização pessoal, através do que hoje chamam conhecimento interior.

A melhor imagem que desse Mestre guardo na memória é o facto de, pese embora a sua mediana estatura física, ele nunca se ter “vergado” perante as muitas dificuldades porque passou.
Sempre soube reagir, frequentemente “agigantando-se” perante as adversidades.
Tive, e tenho, o melhor dos Mestres:

– A minha mãe, aqui presente.

 

Para ela, para a minha esposa, companheira há 37 anos, (9 antes de casar…), para os meus filhos, e para todos vós, meus amigos, a minha maior gratidão.

Vitor Manuel de Sousa e Silva
www.bushidozen.pt