O Karaté Infantil e o Desenvolvimento Lúdico

Posted on Posted in Bushido Karaté-Zen
“Uma criança que não jogar (…)
Será um adulto que não sabe pensar”

Antes de tudo, o Karaté Infantil deve ser encarado como uma actividade lúdica, ou seja, uma actividade cujo fim se orienta para o prazer. A repetição da actividade em função do prazer advém, da vitória. Esta é entendida como actividade bem sucedida na repetição que gera o prazer lúdico.

A actividade em si não se resume ao ” ganhar “. A vontade de ir á aula, de fazer a aula, de se equipar para a aula ( o kimono ), de participar nos jogos prescritos na aula, de executar os ataques e as defesas nos combates com os outros ( todo o esquema psicomotor dessas acções ), de se relacionar com o consciente, que pode ser fonte de prazer, e que impele à sua repetição fazendo com que todas estas acções se incluam no próprio jogo. O combate alarga-se à actividade geral.

Para a criança, não se deve tratar de “ bater “ mas sim de “ tocar “ no seu companheiro de jogo, e existe explicitamente a diferença entre a realidade bater e a realidade tocar.

A área lúdica do jogo combate, em termos ludênciais simples, integra, pois, o próprio individuo, numa dinâmica, intelectual e volitiva, e, circunstancialmente, envolve um oponente, o adversário, e todo o espaço limitado por determinadas dimensões e conteúdos como as regras.

Naturalmente que existe uma atmosfera que acompanha culturalmente as artes marciais e os desportos de combate, não apenas nos locais de prática, mas pelo simples facto de a criança, e todos os que com ela contactam, tomarem consciência de que ” faz Karaté “.
É a imagem, a concepção que culturalmente foi e vai sendo inculcada nas pessoas adultas, e nas próprias crianças.

O jogo é uma actividade importante no desenvolvimento infantil, e se os jogos de luta e de combate devem ser utilizados nessas idades, respeitando criteriosamente o seu desenvolvimento, como verdadeiros auxiliares seus potenciadores, há que evidenciar a vertente lúdica na utilização nos desportos de combate como vínculos de educação

O Karaté infantil deve ser encarado numa perspectiva instrumental de desenvolvimento global da criança. Para isso tem-se em conta o seu desenvolvimento e procura-se promovê-lo, incidindo em pontos importantes.

Antes de tudo, devemos olhar para os protagonistas, e, como educadores, planear actividades que possam ajudar a desenvolvê-los de forma harmoniosa e respeitadora. O Karaté infantil, sem dúvida, deve ser encarado como uma actividade lúdica por excelência, ou seja, como um verdadeiro jogo cujo projecto é o prazer lúdico dado pela vitória entendida como actividade bem sucedida na repetição.